PGM #249: Entrevista com Selvino Heck, militante popular e membro do Movimento Fé e Política



Bloco 1:

Bloco 2:

Destaques da Semana:

1- Abertura: A chamada greve dos caminhoneiros é o principal assunto da semana.

2- Música: Prá não dizer que não falei de Flores com Geraldo Vandré

3- Resenha: Nesta semana denominada greve dos caminhoneiros praticamente paralisou o país. Como somos dependentes do petróleo para girar a economia e para os serviços vitais para a vida, com uma paralisação como essa em que se impede o transporte de combustíveis e de outros produtos essenciais o país pára. O movimento está mais para lockout do que para greve. Pois as principais pautas e os maiores interessados na mobilização são os empresários do setor, que com o apoio da grande mídia levam muita gente a pensar como eles e a defender seus interesses, que não são os da classe trabalhadora. Enquanto isso o Congresso Nacional já prepara o caminho para uma eleição indireta caso caia Temer e a Justiça prepara a antecipação do julgamento da elegibilidade de Lula para impedi-lo de concorrer às próximas eleições, onde é líder absoluto em todas as pesquisas de intenção de voto.

3- Entrevista: Com Selvino Heck que é militante popular e membro do Movimento Fé e Política.

Ele nasceu em Venâncio Aires, RS donde saio muito cedo para estudar com os franciscanos, onde se formou em Filosofia e Teologia. Depois que deixou a Vida Religiosa foi Deputado Estadual Constituinte e Coordenador Nacional do Programa Fome Zero, dentre outras ações ao nível nacional. Sempre participou ativamente da Igreja Católica, especialmente nas Pastorais Sociais e nos Movimentos Populares no bairro Lomba do Pinheiro. Atualmente mora em Porto Alegre e é participante ativo nos Movimentos sócios-políticos do estado especialmente do Movimento Fé e Política.

Na entrevista ele nos fala sobre sua história de vida, sua dedicação à Igreja e aos Movimentos Populares, à Política Partidária e do Seminário Estadual do Movimento Fé e Política que acontecerá dia 02 de junho no CAMP em Porto Alegre.

Na entrevista ele nos fala sobre sua história de vida, sua dedicação à Igreja e profissional, mas sobretudo da importância das pessoas em qualquer idade, mas especialmente os jovens, participarem da vida Comunitária, Social e Política.