Avança projeto de acesso social à água na região da Campanha do RS

27 de outubro de 2019

Ação que promove instalação de cisternas para captação de água da chuva chegou até o município de Pedras Altas

 

Em execução desde maio passado, o projeto de acesso social à água que vem sendo desenvolvido em parceria pelo CIDEJA (Consórcio Público Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental dos Municípios da Bacia do Rio Jaguarão) e ICPJ (Instituto Cultural Padre Josimo), utilizando recursos do antigo Ministério do Desenvolvimento Social (hoje Ministério da Cidadania) já viabilizou a instalação de 157 Cisternas para captação de água da chuva, com cerca de 30 em fase de construção e 70 previstas para serem construídas nos próximos meses. Depois de alcançar os municípios de Candiota, Hulha Negra e Aceguá, chegou a vez de Pedras Altas ser contemplado com as ações do projeto, recebendo as primeiras 13 unidades (de 20 previstas), cuja obra foi entregue no último sábado (26/11) para as famílias beneficiadas.

– Não é fácil aqui quando vem a estiagem e falta água, a gente tinha que ir buscar na sanga ou no arroio – comenta Adair Pereira, morador da comunidade de Nascente, onde foram instaladas as primeiras cisternas previstas para Pedras Altas. “Agora vai ser diferente, agora vamos ter água boa armazenada para o uso de todo dia e vamos estar mais preparados para enfrentar a estiagem se ela voltar”, completou. No ato público realizado nas dependências de uma antiga estação ferroviária desativada, a comunidade confraternizou junto com lideranças municipais e representantes do CIDEJA e ICPJ. 

– A construção de cisternas na zona rural tem grande importância, pois possibilita uma melhor qualidade de vida para famílias que convivem com a escassez de água, fazendo com que haja o acesso, o gerenciamento e a valorização deste recurso tão importante – explicou o prefeito Luiz Alberto Soares Perdomo, mas conhecido como Bebeto. “Temos uma satisfação muito grande de contar com o apoio do CIDEJA, do Instituto Padre Josimo e do Ministério da Cidadania, que vem juntamente com a Administração Municipal contemplar uma demanda muito importante dessas famílias”, acrescentou. Ao final do ato o prefeito, vereadores presentes e lideranças da comunidade beneficiada entregaram uma placa em agradecimento ao CIDEJA e ao ICPJ.

– O objetivo geral dessa tecnologia social é proporcionar o acesso à água de qualidade e em quantidade suficiente para o consumo humano às famílias de baixa renda e residentes na zona rural”, explica o coordenador do ICPJ, Frei Sérgio Görgen. Além de garantir água suficiente para prover as necessidades imediatas das famílias beneficiadas, o dirigente destaca ainda o aspecto pedagógico do procedimento de construção, onde os beneficiados participam ativamente do processo, ajudando na fase inicial da construção e depois assessorando os operários em suas necessidades diárias.

Valmir Amaral, técnico do ICPJ que coordena a equipe de construção das cisternas em Pedras Altas explicou que cada família que passa a contar com uma cisterna instalada junto à sua unidade habitacional, tem condições para enfrentar com dignidade o período de estiagem, minimizando os riscos à que ficam expostos: “Ficamos felizes de ver que nosso trabalho ajuda as famílias a ter acesso a uma água de boa qualidade, fazendo que a cada obra finalizada a gente sinta a sensação de missão cumprida”.

A Diretora Executiva do CIDEJA, Débora Cappua, ressaltou que todos esperam que as famílias beneficiadas possam melhorar suas condições de vida a partir do momento em que tem acesso facilitado à água de qualidade para consumo humano, com impacto direto sobre a saúde e a segurança alimentar e nutricional. “Não medimos esforços nessa grande parceria que envolve o CIDEJA, os municípios, o Instituto e o Ministério da Cidadania para que a região se desenvolva, mas acima de tudo, para que as pessoas possam sentir no seu dia a dia os resultados desse desenvolvimento na melhoria de sua qualidade de vida”, afirmou.

O projeto prevê a instalação de 283 cisternas construídas utilizando o sistema de placas (técnica desenvolvida no nordeste e adaptada para as necessidades da região da Campanha do RS) na área de abrangência do CIDEJA. Até o momento foram contemplados os municípios de Candiota (137 unidades construídas, 20 em construção), Hulha Negra (20 unidades construídas, 13 em construção) e Aceguá (14 unidades em construção no Quilombo da Lata). Cada cisterna construída pode armazenar até 16 mil litros de água captada da chuva através do próprio telhado da residência da família beneficiada, proporcionando garantia de até 40 dias de recurso hídrico em caso de estiagem. Além do sistema de captação e armazenamento, cada família recebe ainda equipamento desenvolvido pelo ICPJ para bombeamento manual da água da cisterna para a residência, bem como filtro de barro para a purificação da água que será consumida ou utilizada no preparo de alimentos pela família.