Proteção às águas: estudantes do MST têm trabalho selecionado em Mostra Pedagógica

11 de julho de 2018

Publicado originalmente em sul21.com.br

 

Trabalho trata da recuperação de 24 nascentes na região da Campanha do RS. (Foto: Marciane Fischer/Divulgação)

Por Marciane Fischer

Estudantes de uma escola de assentamento da Reforma Agrária da região da Campanha gaúcha participaram nesta terça-feira (10) da 3ª Mostra Pedagógica do Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul (CPERS) e da 1ª Mostra Pedagógica do 17º núcleo do sindicato. As atividades foram realizadas na Universidade Federal do Pampa (Unipampa), na cidade de Bagé.

Nessa etapa regional, a Escola Estadual de Ensino Fundamental Chico Mendes, localizada no Assentamento Santa Elmira, em Hulha Negra, apresentou um trabalho sobre a proteção das águas do Pampa, que tem o objetivo de recuperar 24 nascentes em Candiota e Hulha Negra. Na própria instituição há uma fonte que está sendo cuidada e recuperada pelos estudantes.

O intuito do projeto também é preservar as águas da superfície, socializar conhecimentos entre agricultores e agricultoras e elevar o nível de consciência sobre a necessidade de proteger as águas do Bioma Pampa. Realizado com a Usina Termoelétrica Pampa Sul e com o apoio do Instituto Cultural Padre Josimo, o trabalho foi selecionado na categoria Séries Finais e será exposto numa próxima etapa no mês de outubro em Porto Alegre.

Para a professora Cenira Hahn, que acompanhou os estudantes, as mostras evidenciam os trabalhos que são realizados pelos filhos de assentados na Escola Chico Mendes. “É preciso fortalecer cada vez mais a nossa luta, mostrando na prática a riqueza pedagógica desenvolvida em nossas escolas públicas”, disse.

Também foram selecionados para a etapa estadual outros trabalhos da Escola Estadual Justino Quintana, de Bagé, na categoria Séries Finais, e da Escola Estadual Bernardino Ângelo, de Dom Pedrito, no Ensino Profissionalizante. Conforme Delcimar Delabary, vice-diretora do 17º núcleo do Cpers, as exposições reforçam que “a escola pública dá certo”. “Elas mostram que temos trabalhos extraordinários”, avaliou.