Projeto Vozes da Terra promove shows gratuitos no município de Hulha Negra

17 de agosto de 2017
Eventos Notícias

Sábado, 19 de agosto, vai ser dia de curtir música ao vivo no município gaúcho de Hulha Negra. Sempre promovendo eventos com entrada gratuita, o projeto “Vozes da Terra” dessa vez leva os shows do cantor e compositor João Chagas Leite e do grupo Voz Galponeira para a festa de inauguração da Agroindústria da COPTIL no Assentamento Conquista da Fronteira. O evento vai envolver a comunidade local num dia festivo, com feira de produtos, almoço comunitário e muita música.

Confira a programação

10h – Abertura do evento

12h – Almoço comunitário

14h РShow com Jọo Chagas leite

15h30 – Show com a banda Voz Galponeira

19h – Encerramento

O projeto

Realizado pelo Instituto Cultural Padre Josimo, com incentivo do Ministério da Cultura e patrocínio da Oleoplan, o projeto “Vozes da Terra” leva shows gratuitos a municípios do Rio Grande do Sul, proporcionando atividades culturais em que toda a família possa participar, estimulando a prática de hábitos de arte e lazer. São espetáculos que contemplem a boa música de raiz do Brasil, valorizando a arte e a cultura de artistas regionais.

O projeto busca envolver a comunidade local nas atividades de produção, o que favorece as parcerias e fortalece laços, bem como estimula o mercado cultural na região. Além da gratuidade dos shows, também serão disponibilizados ônibus gratuitos para levar moradores de áreas periféricas ao evento.

Prestigie a inauguração da agroindústria ao lado dos agricultores de Hulha negra! Passe a tarde deste domingo curtindo os shows do projeto Vozes da Terra no Assentamento Conquista da Fronteira, no interior de Hulha Negra.

Justificativa do projeto

– Oferecer gratuitamente espetáculos de música regional do Sul do Brasil, para que a população em geral possa imprimir no seu dia a dia o interesse por atividades de Cultura e Lazer. Como a arte nem sempre chega a todos, remete a necessidade de desenvolver atividades gratuitas e de livre acesso a todas as classes sociais;

– Fortalecer a identidade local e regional, através da arte, para que a cultura permaneça viva e em plena construção e admiração pelos espectadores, incentivando as práticas culturais saudáveis e alternativas, principalmente aos jovens e adolescentes, alvos do crime organizado;

– Criar espaços para que artistas que vivem da música regional, muitas vezes ainda na obscuridade da mídia, possam mostrar e divulgar a comunidade sua arte, possibilitando a ampliação de trabalho;

– Envolver a comunidade e os poderes instituídos, assim como a mídia local, para despertar novos valores em torno de atividades culturais;

– Estimular o comércio local, atento ao empreendedorismo dos pequenos comerciantes, propiciando a comercialização de seus produtos durante a realização do evento, gerando renda à economia familiar e solidária.