João Batista Scalabrini, Apóstolo dos Migrantes

1 de junho de 2018
Autor
Frei Wilson Zanatta

No dia 1 de junho se celebra o fundador da congregação dos Scalabrnianos

Confira a síntese biográfica de João Batista Scalabrini, compilada pelo Frei Wilson Zanatta

 

Scalabrini nasceu na It√°lia, na cidade de Como, em 8 de julho¬† 1839. Aos 18 anos de idade ingressou no semin√°rio Diocesano para ser Sacerdote. Ao conhecer os Padres mission√°rios que foram trabalhar na √ćndia e na √Āfrica, muito desejou um dia ser tamb√©m mission√°rio. Jovem exemplar nos estudos e na f√© foi um homem de olhar atento, cora√ß√£o cheio de compaix√£o e caridade. Foi ordenado Padre e depois escolhido¬† Bispo em 16 de dezembro de 1875 na cidade de Piacenza sob grande admira√ß√£o da popula√ß√£o pelas suas virtudes. Por motivos pessoais n√£o aceitou, mais tarde, por duas vezes, o pedido do Vaticano para ser Cardeal.

Amou sempre seu rebanho para além de sua Diocese e de seu País.

¬†Ao ver seu povo migrar, partindo para a Am√©rica, numa situa√ß√£o de pobreza e abandono, marcou para sempre seu cora√ß√£o.¬† Ainda mais, quando, Scalabrini recebeu uma carta de um emigrante da Am√©rica do Sul, suplicando que um padre fosse para aquela regi√£o, porque, como dizia, ‚Äúaqui se vive e se morre como os animais‚ÄĚ. O Bispo que tanto desejou ser mission√°rio quis que Sacerdotes, Irm√£s, Irm√£os e Leigos, acompanhassem o destino dos migrantes. Por isto, fundou a Congrega√ß√£o dos Mission√°rios de S√£o Carlos Borromeu, hoje conhecidos como Carlistas ou Scalabrinianos.

O Beato Jo√£o Batista Scalabrini √© conhecido como o ‚ÄúPai dos Migrantes, Ap√≥stolo da Catequese e da Reconcilia√ß√£o‚ÄĚ. Fez da casa Episcopal salas para catequese. Administrava a catequese aos jovens e escreveu material sobre o tema. Scalabrini, como excelente observador da realidade de sua √©poca, fundou um Instituto para surdos-mudos e uma organiza√ß√£o assistencial para mulheres abandonadas das zonas rurais, pertencentes √† sua Diocese. Jo√£o Batista nos ensina que a reconcilia√ß√£o √© o caminho da constru√ß√£o da cidadania universal. A migra√ß√£o √© um convite para a globaliza√ß√£o da solidariedade.

Foi conhecido como o ‚ÄúBispo das m√£os furadas‚ÄĚ pois tudo o que recebia passava adiante aos mais necessitados.

Na l√≥gica da Palavra de Deus, o migrante nos recorda que estamos de passagem, buscando ‚Äúuma p√°tria que n√£o √© terrena‚Ä̬† e ao mesmo tempo nos ensina que para o deserdado, ‚Äúa p√°tria √© a terra que lhe garante o p√£o‚ÄĚ. Pois a ‚Äúfome √© m√° conselheira‚ÄĚ. Diante da situa√ß√£o onde mais de um milh√£o migraram, ele se perguntava ‚ÄúPor que tanta gente emigra?‚ÄĚ A emigra√ß√£o n√£o √© um prazer, mas uma necessidade inevit√°vel.

Nos √ļltimos anos de sua vida, em 1901, visitou os migrantes dos EUA e do Brasil, passando por S√£o Paulo, Rio de Janeiro, Paran√° e as col√īnias italianas do Rio Grande do Sul e aproveitou a ocasi√£o para visitar o irm√£o que havia migrado para Argentina, que n√£o se viam h√° 36 anos. Voltou satisfeito da viagem pela Am√©rica e veio a falecer pouco tempo depois, em 1¬ļ¬† de junho de 1905.

João Batista Scalabrini foi  Beatificado em 09 de novembro de 1997, pelo Papa João Paulo II.