Revista de Rádio 368 - 03 09 2020



Bloco 1:

Bloco 2:

INSTITUTO CULTURAL PADRE JOSIMO 

PROGRAMA REVISTA DE RÁDIO

Produção e apresentação: Frei João Osmar

 368º programa: 03 de setembro de 2020:

1- Resenha: Hoje vamos destacar dois assuntos relacionados entre si, ou seja: As comemorações relativas ao dia sete de setembro, Dia da Proclamação da Independência do Brasil, que será na próxima segunda feira, dando, portanto um feriadão, e o 26º Grito dos Excluídos promovido pelas Pastorais Sociais da CNBB da Igreja Católica em parceria com outras Igrejas e denominações Religiosas, bem como com muitos movimentos sociais, populares e sindicais. Quanto à data da Independência do Brasil, não se tem muito a comemorar, pois se há quase duzentos anos nos tornamos independentes de Portugal, agora estamos nos colocando deliberadamente como nação dependente do EEUU. Além, é claro da desastrosa política de venda do patrimônio nacional, da destruição da floresta Amazônica e da redução do valor real do Salário Mínimo para o próximo ano. Tudo isso temperado pela pandemia do coronavírus que já matou mais de 125 mil pessoas em nosso país. Não há o que comemorar nestas condições. Pelo contrário, o que temos mesmo é o que protestar e propor um novo modo de organização social e econômica para o Brasil e para o mundo. Pois é o que se propõe o 26º Grito dos Excluídos/as que acontecerá de forma virtual no dia 07 de setembro em todo o territória Nacional com seu tema tradicional: “A Vida em Primeiro Lugar” e com o lema escolhido para este ano: “Basta de miséria, preconceito e repressão: Queremos Trabalho, Terra, Teto e Participação”. Para destacar o Grito dos Excluídos/as em nosso programa ouviremos em seguida a poesia da jovem Irmã da Congregação das Bernardinas de Porto Alegre, Samanta Karla.

2- Entrevista: Hoje vamos ouvir o testemunho de Eliane Almeida de Sousa – a “Doutora Negrita” da Lomba do Pinheiro, Zona Leste de Porto Alegre, RS. A Eliane já participou mais vezes de nosso programa, o que agradecemos de coração. Ela que é natural e que mora ainda hoje no mesmo Bairro, do qual se orgulha muito. É filha de Mãe de Santo, e, por sua vez, é também Mãe de Santo e tem sua Casa de Religião. É casada, mãe e avó. Doutora em Educação pela UFRGS e Pós Doc em pedagogia Cosmocena, praticada nos “Terreiros” de matriz africana aqui no RS. Na sua fala ela conta um pouco de sua vida e de sua atuação na acolhida e socorro de pessoas em situação de vulnerabilidade social tais como empobrecidos das periferias de Porto Alegre e migrantes haitianos, dentre outros. Por fim ela nos deixa a mensagem da Bianca, pessoa que foi atendida e sua Casa de Religião, e que sentiu melhora em sua vida.

3- Música: Poesia “Porque Gritamos” com Irmã Samanta;

4- Foto da internet: Eliane Almeida de Sousa.