ROMARIA DA TERRA

9 de Fevereiro de 2018

Frei Sérgio Antônio Görgen ofm*

A tradição das Romarias, como manifestações religiosas populares, são normalmente a santuários dedicados a algum santo católico, ou devoção Mariana, em algum lugar fixo.

Até que um dia, num diálogo espiritual inspirado, o saudoso Irmão Antônio Cechin e o Bispo Dom Pedro Casaldáliga tiveram a ideia de reverenciar o Índio Guarani Sepé Tiaraju e os Sete Povos Missioneiros do Rio Grande do Sul, resgatando o valor espiritual e material da terra enquanto base da sustentação da vida e lugar da convivência humana fraterna.  Pensaram numa Romaria, uma prática espiritual construída e consagrada pela religiosidade popular no Brasil, resgatando a memória de Sepé Tiaraju defendendo sua terra e seu povo.

Propuseram à Comissão Pastoral da Terra e ao Conselho Indigenista Missionário do Rio Grande do Sul e em 1978 acontecia na Coxilha do Caiboaté, município de São Gabriel, RS, no local do massacre covarde de 1500 guaranis pelos canhões e espadas de Portugal e Espanha, a primeira das Romarias da Terra.

As duas seguintes foram no povoado denominado Tiaraju, também em São Gabriel, próximo à Coxilha do Caiboaté. A quarta Romaria aconteceu nas Ruínas de São Miguel, então município de Santo Ângelo, hoje São Miguel das Missões, cidade missioneira onde Sepé viveu e foi escolhido pelos moradores como Alferes e Corregedor, semelhante ao que seria hoje a função de prefeito.

Daí em diante, a Romaria virou peregrina, como o povo que busca a terra e a justiça, acompanhando pelo estado afora os locais onde o povo está em luta e em movimento. Sempre na terça de carnaval lembrando o martírio de São Sepé Tiaraju.

Este ano em Mampituba, pela primeira vez no litoral norte do Rio Grande do Sul, a 41ª das Romarias iniciadas nos idos de 1978. Desta vez lembrando que a Terra é feminina e que as mulheres são as maiores vítimas nestes tempos de destruição de direitos, mas são também, como Madalena nos Evangelhos, as primeiras a ressuscitar a esperança do povo em dias melhores.

*Frade franciscano, militante do MPA e autor do livro “Em Prece com os Evangelhos”. 


Autor
Frei Sérgio Görgen